redes sociais como ferramenta
Redes sociais são uma ferramenta não o seu lugar na Internet

Levar um negócio para Internet se tornou muito fácil. Hoje é possível posicionar sua marca em uma das redes sociais, seja o Facebook, o Instagram, Twitter, YouTube, só para ficar nas mais populares. É possível até vendar por estas redes. A vantagem é que nesses ambientes, os gastos são mínimos (geralmente se gasta apenas com campanhas para gerar tráfego), a usabilidade é simples e há ferramentas que permitem mensurar os resultados com muita facilidade.

Parece ótimo não é? E é mesmo! Mas tem uma questão que muita gente não se atém. Todo o público obtido nas redes sociais pertencem ao Facebook, ao Instagram, ao YouTube e ao Twitter. Esse público não é seu. Caso aconteça de os administradores da rede social mudar os termos, alguém fizer uma denúncia, ou simplesmente a rede morrer (como aconteceu com o Orkut) todo aquele público poder ir para as cucuias.

Imagine o sueco Felix Kjellberg, conhecido mundialmente como PewDiePie. Ele é o maior youtuber do mundo, com quase 60 milhões de inscritos. No entanto, se o YouTube deixar de funcionar amanhã, ele irá perder essa massa gigantesca de audiência, pois seu conteúdo está dentro dos servidores da rede social e não num espaço que seja dele.

É muito comum aparecer empreendedores desesperados porque seus perfis foram bloqueados, invadidos e todo trabalho perdido.

Por outro lado, quando uma empresa (ou pessoa) investe em seu próprio site, ela está construindo o seu próprio público, dentro de sua base de dados, pessoas que visitam suas páginas no servidor que a empresa contratou. As páginas de seu site serão ranqueadas pelas ferramentas de busca como o Google e tenderão a aparecer nos resultados de pesquisa.

Claro que construir um site leva tempo, é trabalhoso, envolve muitos profissionais de design, programação, produção de conteúdo que tornam a empreitada cara, dependendo do que o cliente desejar. Por outro lado há ferramentas como WordPress e serviços como o Wix que permitem que qualquer um possa construir seu site sem grandes custos. Construir uma imagem e formar uma base de visitantes também é demorado. Mas aos poucos eles vão crescendo e os resultados aparecem.

Mas o site não corre nenhum risco de perda de dados?

Claro que o site também está vulnerável a falhas e perdas de conexão, quedas e invasões. No entanto, cabe a empresa a contratar serviços de hospedagem que ofereçam ferramentas para impedir que os dados se percam. A boa notícia é que a grandíssima maioria das empresas de hospedagem atendem aos mais exigentes protocolos de segurança e é raro que a perda de conteúdos. Quando há um problema, geralmente é por um descuido de algum usuário.

Daí, a empresa deve ser rigorosa com o controle de acesso às ferramentas administrativas do site. Assim como é fundamental ter o controle das pessoas autorizadas as incluir ou manipular informações, além de adotar ferramentas proteção. Nas redes sociais, o perfil também está vulnerável a invasões e os responsáveis tomam medidas para reduzir riscos.

Em suma, figurar nas redes sociais é muito importante para projetar a marca, os produtos e serviços de uma empresa. Ela é uma ferramenta que deve ser utilizada para buscar tráfego para seu site, ampliar sua visibilidade, mas nunca será a base de seu negócio na web!

Deixe seu comentário

Compartilhe o que você achou desse post